Campanha de vacinação contra a paralisia infantil termina sexta-feira

Mais de 12 milhões de crianças tomaram as duas gotinhas da vacina em todo o país.

Um balanço parcial divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira aponta que 12,3 milhões de crianças já foram vacinadas contra a paralisia infantil. O número representa quase 87% do público-alvo de zero a cinco anos. A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite será encerrada na próxima sexta-feira.

No país inteiro, a meta é imunizar 13,5 milhões de crianças (95% do total), enquanto no Rio Grande do Sul a vacinação já atingiu 596.622, o que representa 90,6% do total (658.728). Santa Catarina apresenta o melhor saldo, com 96,2% do público-alvo atendido.

As secretarias de Saúde estaduais e municipais receberam 21,2 milhões de doses e o governo federal destinou R$ 16,7 milhões para a compra de vacinas. Apesar de ter o certificado da Organização Mundial da Saúde (OMS) de país livre da doença, o Brasil precisa manter a vacinação para evitar a reintrodução da poliomielite, que é endêmica no Afeganistão, Nigéria e Paquistão.

Combate à pólio: Campanha de vacinação contra a paralisia infantil termina na sexta-feira.

Combate a poliomielite:

Vacinação contra paralisia infantil está acima da meta em Florianópolis e em SC.
Campanha de vacinação termina na próxima sexta-feira em todo os centros de. saúde do país.

Ministério da Saúde confirmou que 97% das crianças com menos de cinco anos estão imunizadas em Florianópolis Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Faltando menos de uma semana para o fim do prazo, a Capital catarinense já ultrapassou a meta estabelecida de crianças vacinadas contra a paralisia infantil. O Ministério da Saúde confirmou que 97% das crianças com menos de cinco anos estão imunizadas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Mesmo tendo superado a meta inicial de 95%, a secretaria manterá a campanha em todos os Centros de Saúde e em diversos postos volantes espalhados pela cidade até a próxima sexta-feira, dia 06 de julho.

A recomendação é que mesmo a criança que esteja apresentando sinais de alguma doença deve ser levada ao local de vacinação para uma melhor análise de parte do profissional responsável.

Embora não haja registros da doença no Brasil há mais de 20 anos, o vírus selvagem ainda esta presente em diversos países, podendo entrar em território brasileiro através de imigrantes vindos destas regiões.

Ao vacinar um grande número de crianças não apenas se garante proteção a elas como se espalha na natureza a forma modificada do vírus que acaba por combater a responsável pela poliomielite.

Média estadual também está acima

A média estadual aponta ainda que Santa Catarina também já ultrapassou a meta inicial (95%) e alcançou 96,21% de cobertura, imunizando mais de 417 mil crianças menores de cinco anos, o que é considerado como o melhor índice do país. Dos 293 municípios, 66,55% já alcançaram o índice.

De acordo com o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (Sipni), Santa Catarina é o primeiro estado do país a atingir a meta, seguido de perto apenas pelo Paraná, que chegou a 94,40% até agora.

A poliomielite, ou paralisia infantil, é uma doença infecto-contagiosa causada pelo poliovírus, e atinge principalmente crianças. A contaminação ocorre por via fecal-oral, ou seja, pelo contato direto com as fezes ou secreções expelidas pela boca das pessoas infectadas.

Sintomas da poliomielite

A maior parte das infecções é assintomática. Quando ocorrem, os sinais são parecidos com os de outras doenças virais, como gripe, febre e dor de garganta, náusea, vômito, constipação, dor abdominal e, raramente, diarréia.

Cerca de 1% dos infectados pode apresentar paralisia nos membros inferiores, cuja principal característica é a perda de força muscular e dos reflexos.

Com a realização das campanhas, o Brasil está há 23 anos livre da doença.

Deixe uma resposta

inMarket