Natação: o esporte completo

Além de ser relaxante, aumentar a concentração e melhorar a capacidade respiratória, o esporte trabalha os músculos do corpo.

Nadar é considerado um dos exercícios mais completos que existem. Além de ser praticado por quem quer manter a forma física, ele é utilizado também com finalidades terapêuticas e no tratamento de doenças respiratórias, como asma e bronquite, por exemplo. E a natação é sempre muito divertida, especialmente em um país quente como o nosso – e, mesmo quando está friozinho, é possível dar umas braçadas em piscinas aquecidas.

A natação possibilita aos praticantes movimentar todos os músculos do corpo ao mesmo tempo, simplesmente variando o estilo. Nos quatro estilos mais praticados – crawl, peito, costas e borboleta – braços e pernas se movimentam sem parar, proporcionando ao corpo maior resistência e ganho de força muscular.

“Dependendo do estilo, alguns músculos são mais exigidos que outros. No nado crawl, por exemplo, são os tríceps. No estilo peito, os bíceps. Ao nadar de costas, a pessoa trabalha com muita ênfase a região peitoral e ombros e no nado borboleta, costas, tríceps e peitoral”, explica o professor Antônio Carlos da Cunha Garó*.

Os benefícios não param por aí. A natação melhora ainda a capacidade respiratória, promove o relaxamento, aumenta o equilíbrio, a sustentação, concentração e a coordenação motora. Sem limite de idade!

Os cuidados recomendados para quem quer praticar a natação são praticamente os mesmos de outras atividades físicas. “Antes de iniciar a prática é necessário passar por uma avaliação médica, para avaliar as condições de saúde. Só o médico poderá dizer a frequência com que cada um pode se exercitar e os tipos de atividades, mas normalmente não existem problemas quanto à natação”, diz o especialista.

Se você ainda não sabe nadar e se apavora quando se depara com a água, vale a pena tentar. Garó garante que não tem idade para aprender a dar as primeiras braçadas. “Recentemente, tive uma aluna que começou a nadar aos 75 anos de idade. Ela superou o medo e hoje faz seus exercícios regularmente”.

Para manter a forma e a saúde, segundo os especialistas, é necessário nadar pelo menos duas vezes por semana – em sessões que variam de 45 minutos a uma hora. O acompanhamento de um professor, em casa ou em uma academia, também é muito importante.

“O conhecimento do profissional é fundamental, especialmente para pessoas que não têm conhecimento sobre o esporte. O professor vai variar os exercícios de acordo com as necessidades do aluno, avaliar seu desenvolvimento dentro dágua e corrigir os possíveis erros que esteja cometendo, tanto em relação aos movimentos quanto à respiração, que tem papel fundamental tanto para a saúde quanto para a boa performance do nadador”.

*Antônio Carlos da Cunha Garó, professor de natação e coordenador do departamento aquático da Dolphins Academia, em São Paulo.

Fonte: Nestlé

Deixe uma resposta

inMarket