Tornado que atingiu SC não tem relação com ciclone Catarina

A Defesa Civil de Santa Catarina esclarece que o tornado que atingiu Criciúma, a maior cidade do Sul catarinense, nesta segunda-feira, dia 3, não tem qualquer relação com o ciclone Catarina, fenômeno que passou pela região no ano passado.

O órgão também informa que não há previsão de ocorrência de novos tornados nas próximas horas. A tendência de chuva forte, contudo, se mantém até quarta-feira, conforme previsão da Epagri/Ciram.

Até a noite de segunda, a Defesa Civil já havia identificado 71 residências danificadas e três destruídas em Criciúma, além de quedas de árvore e postes, que causaram interrupção no abastecimento de energia elétrica no bairro Vila Manaus, o mais atingido pelo tornado.

O atendimento à população atingida está sendo feito em parceira pela Defesa Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Exército.

Devido à previsão de chuvas, foi instalado um abrigo no Ginásio Municipal. A Defesa Civil não sabia, até 23h desta segunda, quantas pessoas seriam atendidas.

O surgimento de tornados está relacionado a fortes instabilidades termodinâmicas, ou seja ar quente, ar frio, presença de alta umidade e ventos fortes em uma camada específica da atmosfera. Se o fenômeno ocorre sobre uma superfície líquida, recebe o nome de tromba d’água.

Em Criciúma, a formação do tornado começou por volta das 15h, quando era visível no limite com o município de Forquilhinha. O fenômeno avançou com ventos acima de 115 quilômetros por hora e foi arrasador na região conhecida por Grande Santa Luzia, que reúne os bairros Vila Manaus, Mina União, Mineira Nova, Mineira Velha, Cidade Mineira e Promorar I.

Uma morte foi registrada: a moradora do Bairro Promorar I Taise Vieira Pinto, 62 anos, assustada com o vendaval, sofreu um infarto e morreu.

Os ventos atingiram em cheio uma quadra das ruas 35 e 36 do Bairro Vila Manaus. O destelhamento foi total em algumas casas, enquanto outras, mais frágeis, foram reviradas e derrubadas.

Cerca de uma hora mais tarde, outro tornado começou a se formar no distrito do Rio Maina, a quatro quilômetros do Centro de Criciúma, e novamente houve destelhamento de casas e árvores derrubadas. Os dois tornados duraram em média sete minutos.

<hr>

Informação da RBS.

Deixe uma resposta

inMarket